CASA DO POETA | Onde a Literatura visita a Poesia

terça-feira, 14 \14\UTC outubro \14\UTC 2008

OS TEMPOS


ENTARDECER

ENTARDECER

A lua fria e pálida

chorando até o fim …

anoiteceu

anoitecer.

Depois os ventos mornos

e o bólide aceso

brilhou nos meus olhos

amanheceu

amanhecer.

E a vespertina longe

em nuvens cor-de-rosa

caia devagar

entardeceu

entardecer.

Depois da tarde, nada

após a noite, nada

nem estrelas

nem vésper

nem madrugada

nem madrugar…

Fortaleza-CE, 24.05.89

favoritar e compartilhar este texto via Post Social
Posts relacionados

Anúncios

1 Comentário »

  1. Bonita poesia.
    Leve de ler e fácil de compreender.
    Parabéns!

    Comentário por José Guimarães — quinta-feira, 16 \16\UTC outubro \16\UTC 2008 @ 12:16 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • RSS DICAS DE LIVROS

  • RSS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

  • RSS NOTÍCIAS DO DIA SOBRE POÉTICA

  • RSS NOTÍCIAS DO DIA SOBRE LITERATURA

  • RSS POESIA DO LEITOR

  • .

    Valéria Kühl Sofonof… em Biblioburro – uma biblio…
    silmara de souza,de… em Leia as mais recentes notícias…
    Thelmo Mattos em REBELDE POESIA
    Thelmo Mattos em REBELDE POESIA
    Thelmo Mattos em LIVROS MAIS VENDIDOS NO BRASIL…
    gabriella em REBELDE POESIA
    gabriella em REBELDE POESIA
    Maria Um Nome Lindo em Biblioburro – uma biblio…
    Fatima em Biblioburro – uma biblio…
    Henrique Rishi em 25 ALTERNATIVOS CULTURAIS IMPR…
  • Nos leram...

  • contador de acessos
  • ESTATÍSTICAS

    Blogalize
  • Blog no WordPress.com.

    %d blogueiros gostam disto: