CASA DO POETA | Onde a Literatura visita a Poesia

TRANSEUNTE


Carro, movimento

coração, movimento.

O carro pára,

os corações palpitam.

o carro não pára,

o coração salta.

– Cuidado, menino!

é tarde, tocam os sinos.

O sangue já não corre

o óleo continua lá – circulando…

o menino não.

Campo Grande, 2007.

Anúncios

1 Comentário »

  1. É sempre terrível falar em morte e infância no mesmo poema. É como se algo fosse roubado de alguém inteiramente inocente. Triste, porém verdadeiro poema.

    Curtir

    Comentário por AGOSTINHO COSTA — quinta-feira, 6 \06\UTC março \06\UTC 2008 @ 19:46 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: